O que é COOLSCULPTING®?

A dermatologista Lígia Colucci explica os diferenciais do tratamento e o que ele pode fazer por você

Não é raro encontrar alguém que esteja incomodado com aquela gordurinha que teima em não desaparecer.  Na maior parte das vezes, as dobrinhas são difíceis de eliminar e atingem até mesmo aqueles que praticam exercícios físicos com regularidade e estão de bem com a balança. Porém, se engana quem acredita que para exterminá-las seja necessário aderir a tratamentos invasivos e cirúrgicos.

Aliado de quem deseja uma silhueta mais definida o COOLSCULPTING® trata o acúmulo de gordura por meio do resfriamento controlado da área, eliminando para sempre aquelas sobrinhas resistentes às mudanças alimentares e exercícios físicos. A dermatologista Lígia Colucci explica que o procedimento é semelhante à cirurgia de lipoaspiração, mas com uma maravilhosa vantagem: permite que o paciente retorne para as suas atividades logo após a tratamento.

“Com apenas uma sessão de COOLSCULPTING® é possível reduzir entre 20 e 25%1 a quantidade de gordura no local tratado, o que acontece já nas semanas seguintes ao procedimento. Outra vantagem é que a aplicação pode ser feita em diversas regiões do corpo como o abdômen, flancos, costas, coxas e braços, desde que tenham gordura suficiente para realizar o tratamento”, explica.

As sessões são rápidas, têm duração média de 35 minutos por local escolhido. A aplicação acontece por meio de uma ponteira acoplada na superfície da pele. A área escolhida é então sugada de forma segura para dentro do aparelho e as células de gordura tratadas são cristalizadas. Parece complexo? Aposte que não é!  O processo não agride a pele e nem os músculos do corpo. Ao longo do tempo, o metabolismo processa naturalmente a gordura e elimina essas células mortas garantindo um contorno corporal mais esculpido.

A especialista reforça que o COOLSCULPTING® é ideal para pessoas que estão em processo de emagrecimento, pacientes magros, atletas e até mesmo quem está acima do peso e almeja um estímulo extra para começar a emagrecer. “Entretanto vale o alerta: o procedimento não é indicado para as grávidas, menores de 18 anos, indivíduos que se submeteram à cirurgia abdominal nos últimos nove meses e para quem sofre de sensibilidade extrema ao frio”, afirma. A médica esclarece também que não é recomendado o uso de cinta compressiva no pós-procedimento. Ufa!

Outra regra é sempre válida: manter uma boa alimentação ajuda a potencializar os resultados. Também é imprescindível consultar o seu médico e realizar o procedimento com um especialista que guiará da melhor forma a escolha do local para o tratamento.  “O COOLSCULPTING® é uma opção para redução de medidas sem cirurgia”, conclui.

 

 

 

1. E. Boey, Gerald e L. Wasilenchuk, Jennifer. Enhanced Clinical Outcome with Manual Massage Following Cryolipolysis Treatment: A 4-Month Study of Safety and Efficacy. Lasers in Surgery and Medicine 46:20–26 (2014): 05-06.