O que é labirintite?

Conheça os sintomas e tratamentos

Para começar, é bom esclarecermos uma questão: labirintite é o nome popular da doença chamada labirintopatia. A patologia é caracterizada pelas alterações do labirinto – um dos órgãos responsáveis pela manutenção do equilíbrio. Tecnicamente falando, é uma inflamação ou infecção mais grave do labirinto, e não é tão comum.

O otorrinolaringologista Julio Gil explica que a labirintopatia pode ter diversas causas, a mais comum é a vertigem postural paroxística benigna, um distúrbio que se caracteriza por ocorrências momentâneas e recorrentes de vertigem que estão ligadas à mudança de posição da cabeça. Esse problema costuma acometer mulheres após os 40 anos. “Geralmente, a primeira crise ocorre logo ao acordar e é de forte intensidade. Depois se mantém com episódios recorrentes de sensação de desmaio relacionados ao movimento da cabeça e com duração de segundos”, comenta.

Importante ressaltar que qualquer pessoa, independentemente da faixa-etária, pode desenvolver a doença. O diagnóstico é feito por meio de avaliação otorrinolaringológica, audiometria e exames laboratoriais.

De acordo com o otorrinolaringologista Alexandre Bié, existem algumas medicações que podem ser utilizadas com eficácia no tratamento. “A Betaistina é, hoje, uma das medicações de escolha mais segura. Também pode-se utilizar a Flunarizina e a Cinarizina, que são úteis, mas estão normalmente sujeitas a gerar mais efeitos colaterais”, diz.

A cura definitiva ainda é incerta, pois existem pessoas que respondem muito bem às terapias e não sentem mais nada por muito tempo. Contudo, outras não têm boas respostas. “O que sempre digo é que não há regra, cada um tem suas respostas. Mas se há chance de cessar todos os sintomas, sempre deve-se utilizar todos os artifícios possíveis para o tratamento”, completa o Dr. Bié.

Os médicos destacaram algumas ações que podem minimizar os riscos de desenvolvimento da doença. Confira:

Leve uma vida saudável e realize exercícios físicos rotineiramente;

Evite estimulantes, como guaraná, pó de guaraná e energéticos;

Fique longe de gorduras e frituras e doces em geral;

Mantenha-se longe de bebidas alcoólicas e tabaco;

Coma a cada três horas;

Faça seu check-up regularmente.