Planejamento de beleza

Veja como programar os tratamentos

A saúde da pele é determinada por dois fatores: genética e meio ambiente. Infelizmente, sobre a genética não há muito o que fazer. No entanto, existe a possibilidade de controlar o envelhecimento provocado pelo meio ambiente, ou seja, o excesso de sol, a poluição e o tabagismo, entre outros fatores.

Como os efeitos do sol são cumulativos e aparecem, geralmente, após os 40 ou 50 anos, o ideal é usar protetor solar desde a infância. A proteção, aliada ao hábito de evitar a exposição excessiva, postergam o envelhecimento, o aparecimento de manchas e rugas, e, principalmente, o câncer de pele.

“Após os 30 anos, a mulher pode programar os tratamentos de beleza para manter o viço da pele e prevenir o envelhecimento, como o uso de cremes, peelings e lasers. O ideal é não esperar os danos da cútis ficarem muito acentuados, pois, nesse caso, temos que usar procedimentos mais agressivos e invasivos”, diz a dermatologista Silvia Takawa.

Visitar o dermatologista, anualmente, é importante para avaliar as possíveis queixas, como manchas, rugas, flacidez e perda do viço da pele. De acordo com Silvia, se o paciente tiver essa atitude e os procedimentos forem bem indicados e planejados, os benefícios serão aparentes. “Isto faz com que se obtenha toda a vantagem ao programar os tratamentos de beleza, com um melhor resultado estético, evitando possíveis efeitos indesejados”, afirma.

E por falar em indesejado, outra dica importante é não deixar as rugas aparecem para começar a se preocupar. Com elas já estabilizadas, o tratamento é mais difícil e invasivo. Por isso, é indicado que pessoas com expressões faciais muito fortes ou tendência a formar marcas de expressão, apliquem toxina botulínica A. O ideal é que seja feita antes da inimiga se instalar.

“Podemos também fazer procedimentos simples que, além de trazer viço para a pele, previnem o envelhecimento precoce e o aparecimento de rugas e sulcos. Os tratamentos preventivos são menos invasivos e deixam uma aparência sempre jovial”, orienta a dermatologista.

 

BR/0383/2016/Ago/2016