Redução Mamária

O que você precisa saber sobre a cirurgia

A redução de mamas está entre as cirurgias mais realizadas no Brasil segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Seja por indicação médica ou simplesmente estética, o procedimento está se tornando cada vez mais popular.

Para entender um pouco mais sobre a mamoplastia redutora e esclarecer as principais dúvidas, o Além da Beleza conversou com o cirurgião plástico Fábio Saito:

No geral, as mulheres procuram reduzir as mamas por estética ou por problemas de saúde? Além dos problemas de coluna, quais outros podemos citar nesse caso?

Existem as duas situações, quando as mamas são muito grandes, geralmente existe essa associação de fatores. Entre as complicações relacionadas, podemos citar: problemas posturais, dor nas costas, dificuldade para a realização de exercícios, lesões cutâneas nas dobras das mamas, além de questões psicológicas.

A partir de qual idade é possível fazer a redução de mama? Por quê?

Considerando a estabilização hormonal das mulheres, o ideal é que a fase da adolescência já tenha passado. Já em casos muito graves, é possível realizar a cirurgia a partir dos 15/16 anos.

Como é a cirurgia?

Como todo procedimento cirúrgico, existe uma troca que precisa ser muito bem compreendida pela paciente. No caso da redução mamária, troca-se o tamanho das mamas pelas cicatrizes. O procedimento é realizado em ambiente hospitalar, com anestesia geral, ou bloqueio anestésico. As incisões variam conforme as técnicas utilizadas, mas podem ser em periareolares (em casos menores), com cicatrizes verticais, ou em ”T” invertido.

Quanto tempo de internação é necessário?

No geral, a paciente pode sair no mesmo dia, ou após 1 dia de internação.

 Quais são os riscos?

Os exames pré-operatórios devem ser realizados para minimizar os riscos relacionados a qualquer procedimento. Em alguns casos, podem haver hematomas, infecção, alterações de sensibilidade e problemas relacionados à cicatrização.

O pós-operatório é dolorido? Quais as restrições?

É necessário um tempo de recuperação, em geral de 15 a 30 dias. Nessa fase, existe limitações para movimentar os braços, praticar atividades físicas e carregar peso. A cirurgia não é muito dolorida e, na maioria das vezes, analgésicos e anti-inflamatórios são suficientes para um pós-operatório tranquilo.

Quanto tempo é preciso usar o sutiã cirúrgico?

Isso depende da conduta de cada médico, mas em geral de 1 a 3 meses.

Em quanto tempo posso ter o resultado definitivo?

O resultado é visível imediatamente após o procedimento, mas o resultado definitivo deve ser avaliado entre 3 a 6 meses.

É preciso se preocupar com cicatrizes?

Sempre. Tomar sol nas áreas em processo de cicatrização, pode levar a manchas e escurecimento das mesmas. O cuidado é fundamental para uma boa evolução.

Se a cicatriz ficar muito visível existe como corrigir?

É possível, mas depende de muitas variáveis e cada caso deve ser analisado separadamente.

Mulheres que reduziram as mamas podem ter problemas para amamentar?

Sim. Dependendo da técnica utilizada e da quantidade de tecido removido.

Existem mulheres que reduzem as mamas, se arrependem e colocam prótese?

Acontece, por isso a decisão deve ser muito bem pensada, e todos os prós e contras levados em conta. Um procedimento cirúrgico não pode ser feito de acordo com a tendência ou a moda. Converse bastante com seu médico e esclareça suas dúvidas antes do procedimento. Ainda assim, é possível associar a utilização de implantes mamários nos casos em que a mama é muito caída e não há parênquima (glândula) suficiente para uma reestruturação da mama.

Há alguma chance das mamas reduzidas voltarem a crescer?

O tamanho da mama também varia com o peso da paciente, dificilmente o parênquima voltará a crescer. Porém, se a paciente engordar ou engravidar pode haver variação do tamanho.

Quais cuidados deve-se ter ao decidir pela escolha do médico?

Para ter a certificação do trabalho do profissional escolhido, procure por um médico filiado à SBCP.