Romance on-line

Não acredita em romance pela internet?

Que a tecnologia mudou definitivamente a nossa vida não é novidade para ninguém, certo? Mas há situações proporcionadas pela rede que realmente não estávamos acostumadas a vivenciar. Entre elas, os aplicativos de namoro, como o Tinder, fizeram com que nossa interação com as telas ficasse ainda mais interessante e pudéssemos conhecer pessoas novas em qualquer lugar do mundo.

Engana-se quem imagina que as pessoas que optam por baixarem o aplicativo estejam só em busca de diversão e histórias passageiras. Atualmente, é rotineiro encontrar casais que formaram famílias graças ao primeiro match.

A analista de marketing Amanda Dutra passou exatamente por isso. Ela tinha terminado um relacionamento de sete anos e estava em uma fase de querer conhecer pessoas novas, mas não se envolver emocionalmente. “O aplicativo foi uma oportunidade para fazer novas amizades e conversar despretensiosamente. Eu já não tinha muita paciência com festas e noitadas, usei o app inicialmente por incentivo de algumas amigas e por pura curiosidade”, diz.

Não demorou muito para que ela conhecesse o Felipe, um perfil que chamou sua atenção. “Conversamos durante um mês antes do primeiro encontro.  Como tínhamos muitas coisas em comum, não faltava assunto. A coisa fluiu naturalmente”, conta a analista.

Para quem tem curiosidade de navegar nas diversas opções em busca de uma companhia ou um romance, Amanda Dutra, que está com o casamento agendado para o próximo mês, garante: a união iniciada no celular não lhe rendeu nenhum tipo de preconceito. “Muito pelo contrário. Minhas amigas todas começaram a usar aplicativos depois que souberam da nossa história. A tecnologia está aí, cada vez mais presente na vida da gente. Acho que é uma maneira de conhecer melhor a pessoa antes de decidir seguir adiante”, afirma.

Depois de dois anos solteira e magoada com um rolo recém-encerrado, a gerente de serviços de marketing Amanda Moraes Abib completou 33 anos decidida a encontrar um companheiro para a vida. “Queria alguém com os mesmos objetivos que eu, alguém que estivesse a fim de namorar e, evoluindo tudo bem, que quisesse formar uma família. Um parceiro mesmo”, relata.

Ela, que nunca foi tímida, imaginou que o aplicativo pudesse facilitar a busca por um homem neste perfil. “E foi o que aconteceu. Por meio da tecnologia, a gerente de serviços conheceu o marido, Daniel. Após o match, conversaram pelo celular, depois pelo Facebook e após alguns dias de muito bate-papo, decidiram que já era hora de partir para o primeiro encontro. “Marcamos em um restaurante perto de casa. Saímos umas três vezes antes de rolar um beijo. Ele era bem tímido. Até que marcamos um cinema e pensei: ou vai ou racha hoje. Depois desse dia, foi tudo muito natural. Não teve um “pedido oficial” e quando percebemos estávamos nos vendo todos os finais de semana e nos falando todos os dias. Enfim, namorando”, recorda Amanda Moraes Abib.

O pedido de casamento veio em 2015 e no ano seguinte o casal já dividia um novo lar.  “Hoje, estamos grávidos, à espera da Cecília que deve chegar em breve”. Longe de qualquer preconceito, ela relata que no início era estranho contar como conheceu o amado. “Claro que rolou um pouco de estranheza e desconfiança pois sabemos que tem muita gente nesses apps com o intuito de algo casual. Aí quando as pessoas veem um casal firme e forte que se conheceu assim, já vai achando esquisito. Agora, somos procurados para dar dicas”, conta a gerente de marketing.

Amanda Moraes Abib inclusive entrega uma história curiosa. “Acabei inspirando minha melhor amiga, criei um “perfil campeão” no aplicativo Happn e encontrei no mesmo dia o que viria a ser o atual marido dela. Por uma coincidência da vida, eles também estão grávidos com previsão de nascimento junto com a nossa bebê”, comemora.

Apesar das histórias felizes, é sempre interessante tomar cuidado com o ambiente virtual. “Nunca espere que você vai encontrar o seu amor de cara. Tome cuidado. Escolha lugares públicos, avise alguém de confiança sobre o seu encontro”, diz Amanda Dutra, que no dia de seu encontro com Felipe comunicou uma amiga para que ligasse durante a conversa deles para checar se estava tudo bem.

Já Amanda Moraes Abib não poupa dicas para criar um perfil certeiro. “Faça um perfil mostrando de verdade um pouco de quem você é, do que você gosta. Coloque foto de hobbies, de como você gosta de passar seu tempo. Tem filhos? Coloca também. E fotos recentes sempre. Não adianta colocar foto de 2013.  Isso evita surpresas no primeiro encontro. Na minha opinião, o perfil precisa ser o mais natural e o menos sensual possível! Quando estiver em busca do seu par, procure por pessoas que tenham algum gosto ou afinidade em comum com você: esporte, comida, lugares que frequentam. E migrem logo do app para a vida real: nada como um bom olho no olho para entender as intenções do outro lado da tela”. Anotou?