Para frente é
que se corre!

As voltas de uma ex-atleta
na busca dos seus sonhos

Em um cantinho cheio de verde, Shubi estava à vontade para contar a sua trajetória. Isso porque, desde a infância, a natureza sempre foi essencial na sua vida, assim como a educação e o esporte.

Seguindo suas paixões, perto dos 20 anos, descobriu as competições multi esportivas. “A corrida de aventura reúne vários esportes no meio da natureza, parecia o contexto perfeito”, afirmou. O que nasceu como uma atividade física ideal, tornou-se sua profissão. Então, como atleta profissional, competiu em diversos países, destacou-se em grandes provas e formou a primeira equipe feminina da modalidade do mundo, a Athena.

A carreira nas corridas ia muito bem, mas o intenso esforço físico faz essa trajetória ser mais breve que a de outros profissionais, e a atleta precisava de um plano B quando esse ciclo chegasse ao fim.

A hora de aposentar o tênis chegou e Shubi não pensou
em outro caminho que não fosse seguir no que
realmente gostava e sabia fazer.

Junto com os irmãos abriu uma empresa para organizar corridas de aventura. A grande aposta era no sucesso da união das habilidades de todos. E, por algum tempo, foi. Realizaram muitos eventos, entre eles, o Mundial do Pantanal.

Apesar de tudo correr como planejado, a ex-atleta não estava satisfeita e sentia que faltava algo: “Depois de um tempo, me vi me distanciando do que considerava a minha missão. Entendi que não dava mais para perder tempo”, contou.

Pedagoga de formação, Shubi havia trabalhado na área antes de se profissionalizar como atleta – essa era sua verdadeira vocação e, por mais que o esporte tivesse sido a sua profissão por muitos anos, ela descobriu que era hora de voltar às origens: o desenvolvimento de pessoas, principalmente de crianças. Como em qualquer mudança, não foi fácil, principalmente a parte de dizer à família que seguiria outros caminhos, o que significava desfazer a sociedade.

Mesmo sabendo que ela era a alma da empresa,
foi firme na sua decisão e assumiu a sua vontade por completo.
E lá foi ela retomar um projeto antigo de acampamento de aventura.

Hoje, educa crianças e introduz o esporte em suas vidas.
Redescobriu sua energia, sente-se melhor, leve, bonita e dessa
forma, deixa um recado para a vida:

“A gente não pode parar nunca de andar
para frente em busca da nossa realização“,

conclui entusiasmada.

Assim como a história que você acabou de conhecer, outras mulheres transformaram suas vidas, ignoraram os “nãos” e encararam todas as mudanças de forma positiva.