Tratamentos em conjunto

Procedimentos que podem ser aliados na busca do rejuvenescimento

Que a toxina botulínica A e o preenchimento de ácido hialurônico são os queridinhos dos tratamentos minimamente invasivos não é segredo. Mesmo assim, muitas dúvidas ainda rondam sobre o assunto. Entre elas, uma das mais recorrentes: será que eles podem ser realizados juntos?

Sim! Por serem tratamentos com funções específicas e muitas vezes complementares, pode ser que haja a indicação da aplicação em conjunto. Mas para que serve cada um mesmo? A toxina botulínica A é direcionada para as rugas dinâmicas, ou seja, ocasionadas pela atividade muscular, como: linhas de expressão na testa, ao redor dos olhos e entre as sobrancelhas. Enquanto que o preenchimento facial de ácido hialurônico, trata as rugas estáticas, que são provocadas pelo envelhecimento natural da pele, o que também envolve a perda de estrutura óssea e gordura.

Para o dermatologista Daniel Coimbra, a toxina botulínica A ainda é o tratamento mais procurado pelas pacientes por conta dos anos em que está no mercado – mais de duas décadas – aliado aos resultados adquiridos no decorrer desse tempo. “Nenhum outro tratamento tem um resultado semelhante ao apresentado pela toxina nas rugas, mas a cada dia tem crescido as indicações de uso de preenchedores. Acredito que a combinação dos dois tratamentos, somados aos cuidados com a pele, representam o padrão ouro na manutenção de um rosto saudável e jovial”, diz o médico.

Por exemplo, uma paciente que está infeliz com o “bigode chinês” e com o “pé de galinha”, pode utilizar os dois tratamentos e resolver isso em uma única consulta.  Afinal, entre os benefícios dos procedimentos minimamente invasivos estão a ausência de internação e cirurgia.

Como já foi falado muitas vezes por aqui, o especialista também reforça a importância da orientação do médico de confiança de cada um. “Como em todo tratamento estético, o bom-senso do profissional quanto à quantidade de produto e sua procedência, mais os objetivos da paciente, é o que irão trazer sucesso, independentemente das técnicas e se serão usadas em conjunto ou não”.

Também vale lembrar que, ambos tratamentos são contraindicados para gestantes, lactantes, pessoas alérgicas a qualquer um dos componentes dos produtos ou que possuem uma infecção no local da aplicação.