A vez da toxina botulínica A

Dermatologista orienta sobre os usos estéticos e os benefícios do tratamento

Quando o assunto é rejuvenescimento facial, não podemos deixar de falar do procedimento estético minimamente invasivo mais realizado no mundo, a toxina botulínica A! Em 2015, segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética – ISAPS, foram 4.6 milhões de aplicações. Dentro dessa estatística, o Brasil é o segundo país onde mais se realiza o tratamento, com 1.1 milhões de procedimentos. No entanto, não faltam dúvidas quanto à indicação e os efeitos.

Com relação à dinâmica do tratamento, a dermatologista Sheila Espicalsky esclarece: “O objetivo da aplicação da toxina botulínica A para a estética é promover o relaxamento da musculatura facial, assim, suavizando rugas já existentes e evitando que novas apareçam. Além disso, ainda permite a correção de algumas assimetrias faciais como, por exemplo, uma sobrancelha mais arqueada que a outra”.

Para quem quer saber quando começar, a especialista diz que cada vez mais, mulheres com menos de 30 anos têm procurado pelo tratamento. O público masculino também tem se cuidado, nesse caso, a Dra. Sheila esclarece que a realização do procedimento não é exatamente igual: “Cada paciente tem uma necessidade própria. Homens e mulheres podem ter diferentes padrões musculares, além do posicionamento da sobrancelha ser diferente”. Por isso, o principal é que haja uma avaliação criteriosa feita pelo médico e que juntos, profissional e paciente, decidam se está na hora de iniciar o tratamento com a toxina botulínica A.

Entre as maiores preocupações dos pacientes, está o resultado. Claro, ninguém quer ficar com aparência artificial e congelada. No entanto, a dermatologista esclarece que, quando o tratamento é realizado por um profissional experiente e produto adequado, a percepção é de um visual descansado e harmônico, o que deixa a autoestima da paciente lá em cima. Sabe aquela amiga que com o passar do tempo fica cada vez mais bonita? Então, talvez seja esse o “segredo”.

O procedimento é realizado no próprio consultório e o paciente pode voltar às suas atividades no mesmo dia. Sem desculpas para cancelar aquela reunião! Recomenda-se apenas que não haja esforço físico no dia da aplicação. Entre as possíveis reações, em alguns casos, a área tratada pode ficar ligeiramente avermelhada e inchada, o que se normaliza dentro da primeira hora, pequenos hematomas também podem surgir no local da penetração das agulhas. Os efeitos levam de 48h a 72h para começarem a aparecer e a reaplicação pode ser feita a partir de seis meses. Para mais informações, consulte o seu médico.

Para você que não perde nenhuma dica do Além da Beleza, conheça os 3 R’s do rejuvenescimento.

BR/0091/2017/Fev/2017