Ácido hialurônico é aliado contra cicatrizes

Além de dar volume, a substância, usada em preenchimentos, também pode amenizar marcas na pele

Há  momentos que marcam a vida da gente. Outros, marcam o corpo. Um acidente, um corte, uma adolescência com acne são apenas alguns dos exemplos de situações que podem causar cicatrizes na pele e comprometer o visual.

A boa notícia é que já não é preciso conviver para sempre com esses sinais. O cirurgião plástico Eduardo Sucupira, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica que é possível usar o ácido hialurônico para preencher a região da cicatriz – que tende a ser atrófica e mais baixa – e elevar a pele. “É um procedimento indicado nos casos de cicatrizes profundas ou com depressões, como no caso de acne e cicatrizes retráteis, ou seja, aquelas que desaparecem quando se traciona a pele ou ao seu redor”, afirma.

Já a cirurgiã plástica de Ribeirão Preto, Gabriela Schwartzmann, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica que o ácido hialurônico é o produto mais utilizado para o preenchimento de cicatrizes por ser bastante seguro (já que é uma substância encontrada no corpo) e também pela previsibilidade no resultado final.

O procedimento
Simples e rápido, pode ser feito no consultório, na clínica ou no hospital, desde que obedecendo as normas regulatórias.

A maioria dos preenchedores já possui anestésico na fórmula, ajudando a diminuir a dor. Para diminuir o desconforto da picada, é possível também usar anestésicos tópicos. A aplicação é feita, então, abaixo da superfície da pele, e dá volume às áreas aprofundadas.

Imediatamente após a aplicação, a região pode ficar inchada, vermelha ou arroxeada, criando o que os médicos chamam de edema. O quadro é temporário e normalmente desaparece sozinho. Mais: não é preciso tomar nenhum cuidado específico ou se afastar das atividades rotineiras, por exemplo. “Nos dois primeiros dias pós-sessão, é possível aplicar compressas geladas por cerca de 10 minutos a cada três horas. O uso de maquiagem para disfarçar as marcas também está liberado”, diz Eduardo Sucupira

Como o ácido hialurônico é absorvido pela pele, é preciso refazer o procedimento novamente a cada 18 ou 24 meses para manter o resultado.

Contraindicações
As alergias ao ácido hialurônico não são muito comuns, mas a cirurgiã plástica Gabriela Schwartzmann lembra que, quem possui sensibilidade, bem como gestantes e lactantes, não devem passar pelo preenchimento de cicatrizes com a substância.

“Cicatrizes com excesso de volume, como queloides, também não devem passar pelo procedimento”, alerta a médica. O preenchimento pode ser feito em qualquer parte do corpo, mas é preciso uma avaliação do dermatologista ou do cirurgião plástico para que seja feito.

Não há limite de idade para realizar o preenchimento de cicatrizes, mas o paciente não deve apresentar lesões de acne recentes. Se for o caso, é melhor que ele complete o tratamento clínico para a acne e depois resolva as cicatrizes remanescentes.