Comportamento

Autoestima durante o tratamento do câncer

Como encarar o tratamento com otimismo

A descoberta de uma doença nunca é fácil. Quando se trata de um câncer de mama, então, a notícia parece ter mais peso. Encarar o problema com otimismo e coragem, torna o tratamento mais fácil e leve. Foi dessa forma que Erica Cristina Fernandes da Silva, de 35 anos, decidiu enfrentar a doença.

“Fiz um ultrassom de mama, e devido à suspeita, a punção. Houve a confirmação do tumor muito agressivo (triplo negativo) na mama direita, porém, ainda no início”, revela Erica, que foi diagnosticada em outubro de 2014.

O tratamento de quimioterapia foi feito em seis sessões, com término em fevereiro de 2015. Em março, ela realizou a cirurgia de mastectomia total e retirou a mama esquerda também, como prevenção, justamente por ser um tumor agressivo. Na mesma cirurgia, Erica realizou a reconstrução das mamas com próteses

Sua autoestima nunca foi um problema: “Minha intenção era ficar curada, portanto, não me importei em raspar o cabelo. Assumi numa boa, me achava muito bonita careca. Inclusive, na época, minha filha de um ano e meio disse que eu estava linda”, lembra.

O apoio da família foi fundamental. A irmã de Erica também raspou o cabelo para dar uma força. Em algumas ocasiões, usava lenço na cabeça. Vaidosa, procurava sempre combinar o acessório com a roupa.

Para vencer a doença, Erica afirma que é preciso confiar no seu médico e lembrar que é apenas uma fase: “Tudo passa! O cabelo cresce e o seio será reconstruído. O importante é ficar curada e não ter vergonha de assumir a doença”, finaliza.

Mais Comportamento

Leia também