Como recuperar a autoestima após o câncer de mama

O bem-estar pós-tratamento é essencial para a recuperação

Mesmo com o passar dos anos e com o avanço da tecnologia, os números são alarmantes quando o assunto é câncer de mama: cerca de 520 mil mortes são esperadas por ano em todo o mundo. A previsão do Instituto Nacional de Câncer (INCA) para 2016 é de mais de 57 mil novos casos no Brasil.

Para os especialistas, no entanto, esse cenário está mudando – mesmo que lentamente. “Graças aos aparelhos mais modernos e às campanhas de prevenção eficazes que informam as mulheres, o diagnóstico tem sido mais precoce”, afirma o cirurgião plástico Eduardo Porto Leite.

Esse cenário, combinado com tratamentos cirúrgicos mais inovadores e medicamentos oncológicos mais eficientes, promove uma melhora na taxa de cura. “A cirurgia plástica tem um papel fundamental nesse cenário por meio da reconstrução mamária. O método pode ser realizado com tecidos próximos da mama, ou com mais distantes (como do dorso e abdômen). Isso dependerá de fatores individuais”, ressalta o especialista.

Uma das novidades, é a prótese expansora que, quando indicada, pode ser utilizada no mesmo momento da retirada do tumor. “Desse modo, a mulher já sai da cirurgia da remoção do câncer com a mama reconstruída, gerando um enorme bem-estar a ela. O ato de restaurar o formato da mama resgata, incrivelmente, a autoimagem da mulher. Além disso, evita uma nova cirurgia que seria necessária se não usasse esse novo material ”, enaltece Leite.

A cirurgiã plástica Brunna Salvarezza ainda completa: “é fundamental que a paciente compreenda que a técnica utilizada para a reconstrução dependerá muito do tamanho e do estágio em que se encontra o tumor. Por isso, é extremamente importante o diagnóstico precoce da doença”.

Aparência rejuvenescida

O câncer de mama é uma doença que atinge as células mamárias e, por isso, o objetivo da quimioterapia é destruir essas células doentes que estão alteradas. No entanto, a quimioterapia tem efeito sistêmico, ou seja, além de agredir e destruir as células cancerígenas também pode atingir células sadias do corpo todo nesse processo. Consequentemente, podem ocorrer os efeitos colaterais indesejáveis, incluindo as alterações cutâneas, nos cabelos e nas unhas.

O desgaste físico e o estresse emocional ajudam a acelerar o envelhecimento da pele devido à intensa liberação de radicais livres e de mediadores hormonais e inflamatórios que causam o envelhecimento celular.

Após o tratamento do câncer de mama, o dermatologista, juntamente com o acompanhamento do oncologista, poderá indicar tratamentos para o rejuvenescimento da pele facial. “Para o rosto, por exemplo, indica-se o uso de cremes antioxidantes e hidratantes diurnos associados ao filtro solar e, para a noite, o uso de opções mais potentes, com os ácidos retinóico e glicólico”, explica a dermatologista Luciana de Abreu, da Clínica André Braz.

Já que deseja melhorar o aspecto das rugas, dos sulcos profundos do rosto e recuperar o volume facial, a especialista indica o preenchimento com ácido hialurônico. “O método atua na reposição volumétrica e redefinição dos contornos faciais, com melhora também das rugas profundas”, revela. E, para as rugas de expressão – aquelas causadas pelo movimento dos músculos da mímica facial –, indica-se a aplicação da toxina botulínica tipo A, a fim de promover um relaxamento harmônico da musculatura mímica, suavizando as rugas dinâmicas e deixando o rosto com aspecto mais descansado.

Consultoria
Dermatologista Luciana de Abreu www.drandrebraz.com.br
Cirurgiã Plástica Brunna Salvarezza@drabrunnasalvarezza
Cirurgião Plástico Eduardo Porto Leite @drportoleite/
www.drportoleite.com.br