Saúde & Bem-Estar

Como tratar o suor excessivo

Procedimentos minimamente invasivos estão entre os tratamentos para a doença

Alguns animais transpiram, porque é assim que eles mantêm o equilíbrio da temperatura do organismo, que deve ser de cerca 36,5ºC. Em algumas circunstâncias, essa temperatura aumenta, como em dias mais quentes, durante a prática de exercícios físicos ou mesmo em momentos de estresse emocional, então é comum transpirar mais para equilibrá-la.

No entanto, existem pessoas que transpiram quatro ou cinco vezes mais do que o necessário para manter a temperatura corporal, e essa condição de produção excessiva de suor caracteriza uma doença chamada hiperidrose. Além do desconforto físico, a sudorese provoca marcas nas roupas e constrangimentos. A boa notícia é que é possível tratá-la.

Qual o melhor tratamento para hiperidrose?

Normalmente, os primeiros sintomas surgem na infância e se agravam na puberdade. Em alguns casos, podem melhorar com o passar dos anos, mas há pessoas que sofrem com o problema por toda a vida.

Um dos tratamentos utilizados é um procedimento minimamente invasivo, que atua bloqueando a liberação da acetilcolina e, assim, reduzindo a produção de suor. Ou seja, durante o tempo de atuação da substância (cerca de 6 meses) mãos ou axilas ficam sequinhos, além das roupas, que não ficam marcadas.

Para tratar a hiperidrose, o médico aplica o medicamento em diversos pontos para que a substância atue em toda a superfície necessária. Na região da axila, o tratamento costuma ser pouco doloroso e, na maioria das vezes, é necessário apenas um anestésico tópico local. No caso das palmas das mãos, para aliviar o desconforto, os médicos usam técnicas anestésicas e analgésicas que tornam o procedimento bem tolerável.

Porém, não se esqueça que o tratamento mais adequado para o seu caso deve ser discutido e avaliado com um médico especialista.

Mais Saúde & Bem-Estar

Leia também