Cremes antirrugas

Saiba como aliar esses produtos aos tratamentos estéticos não invasivos

Os  cremes antirrugas são encontrados em diversas lojas e prometem eliminar a maior inimiga das mulheres, as linhas de expressão que chegam com a idade. Atualmente, no mercado de beleza, há inúmeros produtos com componentes que agem contra o envelhecimento da pele e ainda contam com a proteção solar. Entretanto, as consumidoras ainda têm dúvidas sobre o real poder desses cosméticos.

A dermatologista Dra. Maria Paula Del Nero explica como eles funcionam: “existem diferentes produtos para cada tipo de ação. Há os cremes antirrugas hidratantes, que atuam impedindo que a água saia da pele e garantindo a saúde da cútis. Já os cosméticos renovadores, como os retinóicos, promovem a renovação celular da epiderme provocando uma descamação”, orienta a especialista.

Outra opção é o creme com peptídeos. Esse produto age estimulando a produção do colágeno e, assim, promete preencher as rugas. “Ainda temos os antioxidantes que ajudam as células da pele a combater o efeito do sol, da poluição e do estresse”, completa a Dra. Maria Paula.

Independentemente da sua opção, todos os cosméticos devem ser usados de acordo com a indicação do fabricante. A maioria das marcas disponibiliza produtos a partir dos 25 anos e os separa de acordo com cada faixa etária.

É importante lembrar que, para resultados mais perceptíveis, os cremes precisam ser usados paralelamente aos procedimentos estéticos. Esses tratamentos proporcionam um rejuvenescimento mais efetivo e duradouro. Um deles é a aplicação de toxina botulínica A, indicada para tratar as rugas dinâmicas – aquelas que aparecem quando a pessoa sorri, fala, franze a testa ou com qualquer outra movimentação do rosto.

Já para atenuar as rugas estáticas, aquelas mais profundas e visíveis mesmo quando o rosto está em descanso, o tratamento indicado é com os preenchedores faciais. Eles também corrigem assimetrias da face e recuperam o contorno facial e labial.

 

 

 

BR/0435/2016/Set/2016