A Importância da vitamina D para nossa saúde

Entenda os benefícios e como sintetizar durante a quarentena

Você que está em casa nessa quarentena com certeza já ouviu falar do dilema sobre a vitamina D, mas calma! A dermatologista Paula Barreto explica como ela é benéfica para nossa saúde e como adquirir os níveis adequados da vitamina.

A vitamina D tem o papel principal no organismo de manter a saúde óssea. Ela auxilia a regular a quantidade de fósforo e cálcio no corpo, assim, aumentando a absorção deles. Segundo a médica, a vitamina deixa os ossos fortes e saudáveis, diminuindo uma chance de desenvolvimento de uma osteopenia e osteoporose no futuro, que são doenças graves em que os ossos enfraquecem. “Os idosos ficam suscetíveis a fraturas, que é uma causa importante de morte na população idosa. Outra doença que se dá pela deficiência da vitamina D chama-se raquitismo, quando a criança não se desenvolve adequadamente”, revela a médica.

Mas qual é a relação entre vitamina D, pele e sol?  “A pele é o órgão responsável por sintetizar a maior parte da vitamina D do nosso organismo, ela sintetiza quando recebe os raios ultravioleta e a menor parte vem da dieta”, esclarece a doutora Paula.

Agora que sabemos que o sol é importante para a síntese de vitamina D, vamos aos horários em que devemos nos expor: “Vai depender muito de cada cidade e da sua latitude. Em São Paulo, entre 7 e 10 minutos, no sol das 11h às 15h, apenas com a pele que está  fora da roupa, como os braços, as mãos, o rosto e o pescoço, já são suficientes para produzir a vitamina D”.

Agora com a quarentena, não devemos ficar preocupados, porque segunda a doutora Paula, o tempo do isolamento social provavelmente não será suficiente para ter impacto nos nossos níveis de vitamina D. “O fato de ir ao mercado e fazer uma caminhada em poucos minutos já é suficiente para que tenhamos bons níveis de vitamina D durante a pandemia sem necessidade de ficar preocupado”, aponta.

Fiquem tranquilos também quanto ao uso do protetor solar. Para a médica, a forma que a população utiliza o produto na cidade não tem impacto na produção da vitamina D. “Teríamos que usar uma quantidade muito maior de filtro solar do que a gente usa rotineiramente para que isso acontecesse. O filtro solar, da maneira que a população utiliza, não atrapalha a produção da vitamina D”.

Existem pessoas que têm maior risco de se tornarem deficientes em vitamina D, pois não conseguem produzir níveis adequados da mesma, são chamados de pacientes de risco para hipovitaminose D.  A população portadora de doenças crônicas, em tratamento quimioterápico e idosos devem ficar atentos para os níveis sanguíneos de vitamina D. A profissional alerta que, para essa população, seria necessário acompanhamento com exames de sangue, solicitados e checados pelo médico para dosarem o nutriente no sangue e se necessário, a prescrição de suplementação de vitamina D.

Mas quando se torna obrigatória a suplementação de vitamina D? A doutora esclarece que quando sua falta for comprovada por teste laboratorial. “O único jeito que temos de saber se devemos que tomar a vitamina D é pelo valor de referência, se estiver abaixo deste valor, a suplementação se faz necessária”.

Não faça qualquer suplementação de vitaminas sem antes consultar um médico. Aproveite alguns minutos de sol na janela. Se estiver em casa, fique no quintal, mas não se exponha por muito tempo.  Caminhe ao sol quando precisar dar aquela escapadinha para a padaria ou farmácia, isso com certeza já ajudará seu organismo a produzir a vitamina D.

Paula Barreto
CRM-SP 136325

BZ-VOL-2050029 – Jun20