Pálpebras caídas: esse problema tem solução!

Aplicação de toxina botulínica e cirurgia plástica são as formas mais indicadas para driblar a aparência cansada

Junto com a boca, os olhos são uma área do rosto muito valorizada pelas mulheres. Mas, algumas sofrem com o problema das pálpebras caídas – e nem estamos falando só dos primeiros sinais de envelhecimento, já que algumas pessoas jovens também possuem a parte superior dos olhos naturalmente caída.

A principal causa do quadro é o enfraquecimento da musculatura frontal da testa e também a flacidez da pele, provocando a perda de sustentação. Esse visual, muitas vezes, pode passar uma ideia de cansaço ou tristeza. E é justamente esse aspecto desmotivado que incomoda quem convive com o problema.

O que fazer?
Para os pacientes jovens ou com pouca flacidez, o tratamento mais indicado é a aplicação de toxina botulínica na região da sobrancelha. “A musculatura ali é responsável por elevar a área, ajudando a reduzir essa queda”, explica o dermatologista Marcelo Bellini, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), de São Paulo.

Outra opção é fazer uma pequena aplicação de ácido hialurônico para preencher a área logo abaixo da sobrancelha. “Com o volume, a pele vai esticar, o que também ajuda a reduzir a queda”, afirma.

O dermatologista reforça, no entanto, que é preciso um tratamento conjunto para que os resultados sejam mais duradouros. “Incentivo o uso de cremes e a realização de tratamentos, como aplicação de lasers, para combater a flacidez e estimular a produção de colágeno”, explica.

Casos especiais
Quando a flacidez é muito intensa e o excesso de pele é grande, o problema deixa de ser estético e passa ser de saúde. Isso porque a visão pode ficar prejudicada ou até bloqueada pela pálpebra que, sem sustentação, cai em cima dos olhos.

Nesses casos, a cirurgia – chamada de blefaroplastia – é a mais indicada para corrigir o problema. “É importante reforçar que apenas um médico especialista poderá avaliar esse cenário e recomendar, ou não, o procedimento”, alerta o dermatologista.