Tudo sobre rugas

O que você precisa saber sobre elas

Campeãs de reclamações, as rugas são os sinais mais evidentes do envelhecimento. As técnicas para suavizar os efeitos dos tempos são muitas e um dos procedimentos utilizados é o preenchimento facial.

O tratamento varia de acordo com a faixa etária, tipo de pele, fatores genéticos e também com os tipos de rugas. Isso mesmo, não são todas iguais! Elas podem ser de expressão (que aparecem desde muito cedo), superficiais, médias ou profundas. Conhecer cada uma e saber quais são as suas diferenças é essencial na hora de escolher o procedimento mais adequado.

Entendendo a diferença das rugas

As rugas de expressão, aquelas que aparecem quando franzimos a testa ou sorrimos, podem ser vistas desde muito cedo, apenas com a face em movimento. Com o passar do tempo, as substâncias do nosso corpo, responsáveis pela hidratação e maciez, diminuem sua capacidade e aparecem outras rugas, que podem ser vistas mesmo quando estamos em repouso. Esse tipo também pode ser classificado quanto à sua profundidade, podendo ser superficiais, médias ou profundas.

A partir de qual idade as rugas médias aparecem?

Geralmente, a partir dos 40 anos.

Por que elas aparecem?

As rugas de expressão aparecem devido ao movimento repetido da face, o que vai formando um vinco na pele. Já o bigode chinês ou os sulcos na região da testa, aparecem devido à flacidez e à perda de gordura.

O problema acontece em quais superfícies da pele? Quais são os melhores tratamentos?

A profundidade das rugas médias atinge epiderme e derme. Nesse caso, o melhor tratamento é o preenchimento com ácido hialurônico JUVÉDERM®. Além disso, é indicada também a aplicação de toxina botulínica A e a utilização do Laser de CO2 fracionado.

Quer saber mais sobre o procedimento? Clique aqui e encontre um médico

Como prevenir as rugas?

No caso do tratamento de rugas de expressão, o melhor tratamento é a utilização da toxina botulínica A. Isso porque o produto tem uma ação que relaxa a musculatura, característica que pode tanto tratar, quanto prevenir. Já na prevenção daquelas que são vistas mesmo quando estamos com a face em que repouso, vale lembrar, mais uma vez, as dicas de sempre: o velho e bom protetor solar, cuidados com a alimentação, não fumar e evitar a exposição exagerada ao sol.

Conheça também o nosso aplicativo Visualizer, onde utilizando a sua própria imagem, conseguimos uma visão aproximada dos possíveis efeitos dos tratamentos estéticos faciais.

 

BR/0373/2016/Ago/2016